quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Que susto de post!



Como hoje é dia 31 de Outubro, nada como falar do Halloween.

Sempre fui fascinada por esta “festa”, apesar da sua clara importação dos países anglo-saxónicos. Lembro-me perfeitamente de adorar ver um livro da Cidade Alegre, em inglês e português, da minha irmã, cheio de desenhos muito coloridos que retratavam as bruxinhas gatas, com as suas vassouras, fantasmas, abóboras e castelos ao luar, sem esquecer os pequenos caldeirões cheios de doces. Tendo-se distanciado da festa original pagã de rituais de passagem entre a terra dos vivos e dos mortos, é sem dúvida a imagem divertida de máscaras e brincadeiras que associo. 
Do meu ponto de vista, penso que é uma boa oportunidade de afastar medos das crianças: medos do escuro, do bicho papão e outros que tal. É também uma oportunidade de partilhar momentos divertidos na cozinha e preparar pequenas doçuras!
Cá em casa, já tratamos da nossa abóbora, porque o papá tem mesmo muito jeito para a esculpir.
Na nossa tradição portuguesa, a celebração é mesmo a 1 e 2 de Novembro com o Dia de Todos os Santos e dos Fiéis Defuntos, respectivamente.

Agora, vamos (re)ver um dos nossos clássicos para este dia: Nightmare Before Christmas – O Estranho Mundo de Jack, num mood de Halloween e Natal misturados!






segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Downton Abbey - As crianças de ontem e de hoje

Sou uma seguidora de filmes e séries de época, se assim os podemos rotular... Nem todos têm a qualidade desejável, mas há uma série que já vai na sua 4. temporada, que acompanho fielmente desde o primeiro episódio - Downton Abbey.
A acção decorre maioritariamente numa grande propriedade situada, no Yorkshire bucólico e narra a vida da família aristcrata Crawley e de todo o seu staff . O conceito não é novo, mas a abordagem dos temas com carácter intemporal traz um grau de autenticidade que adoro.
Os aspectos que mais me têm saltado à vista vão na linha da maternidade, desde a relação mãe-filhas, passando pelos riscos que uma gravidez acarretava na altura ( e que apesar de toda a evolução dos cuidados materno-infantis, continua a acarretar), nomeadamente a pré-eclâmpsia, que acaba por vitimar uma das personagens. 
Na presente fase da história (exibida às 2. Feiras, na Fox Life às 22h.), assistimos à educação das duas crianças desta família, fortemente marcada pela presença de amas, pelas atitudes por vezes discriminatórias destas últimas, mas também pela ternura.... 
A personagem Lady Violet Crawley é adorável, no seu espírito crítico e irónico, mas também no amor discreto pelas netas e bisnetos, que é bem demonstrado nas alturas mais necessárias.
Passo a outro aspecto que acho fantástico - o guarda-roupa e caracterização! Dos vestidos aos fatos de corte mais masculino, dos anos 20 do século passado, aos acessórios e penteados, o resultado é de pura elegância retro.
E as roupinhas das crianças? As semelhanças com peças que tanto gostamos actualmente são notórias, assim como os carrinhos de passeio e berços com um look vintage. Deixo algumas fotos ilustrativas, em baixo, e vou preparar-me para o episódio de hoje, se a menina da mamã deixar!










sábado, 26 de outubro de 2013

Lisbon Kids Market - Outono/Inverno




O nosso sábado iniciou-se bem cedo, para realizarmos todas as rotinas matinais antes de sairmos em direcção às cavalariças do Pestana Palace, onde decorre entre hoje e amanhã (26 e 27 de Outubro), o Lisbon Kids Market.
Apesar das nuvens das primeiras horas do dia, o sol despontou risonho e favoreceu uma visita descontraída com tudo o que espaço tinha para oferecer.
À chegada, estava a Corações com Coroa, pois este evento é, antes de mais, de beneficência, para além de nos proporcionar uma fantástica viagem ao universo das crianças e mamãs.
O ambiente estava a fervilhar de actividade, circulando-se contudo de forma fácil, numa atmosfera cheia de cores e tentações a cada passo.
Como a bebé está muito crescida, o guarda roupa tem de ser feito a pouco e pouco, para responder ao ritmo desse crescimento... A mamã já tinha algumas ideias definidas quanto às compras a realizar.
A oferta era fantástica, mas tenho um aspecto a registar: o tamanho 1 ano não existe em abundância e centra-se muito nos tons básicos branco e bege, pelo menos no que respeita aos bodys e t-shirt's de golas.
No entanto, encontramos a escolha perfeita em duas marcas: um macaquinho beringela e uma t-shirt de manga comprida com gola em bordado inglês simplesmente deliciosos da Dollhouse - Special Kids e outra t-shirt de manga comprida com gola em tons rosa e beringela absolutamente fantástica da Boneca de Sabão.
Eu também tive direito a um miminho: o papá ofereceu uma pulseira da Cool Temptations.
Foi uma manhã muito bem passada e ficamos à espera das próximas edições do Lisbon Kids Market!








quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Christmas is in the air


Apesar da chuva, do vento, das molhas, do trânsito, esta época está a conduzir-nos ao Natal...

O Natal é, para mim, mágico e traz em si um espírito de paz, boa vontade e ternura que devia estar presente todo ano. É também uma festa de fortes laços familiares e com doces tradições.
Com o nascimento da menina da mamã, fiquei ainda com mais vontade de iniciar os preparativos mais cedo. O que não está a ser difícil, pois a quadra natalícia está a pulular um pouco por todo o lado.
A primeira paragem que já fizemos foi no Ikea, onde encontramos várias coisas que há muito queria ter na nossa casa, à semelhança do que já acontecia em casa dos avós da bebé:

- o calendário do advento com as suas janelas a rechear de pequeninas lembranças, criando um entusiasmo em crescendo;



- a coroa do advento: cada vela acesa ajuda-nos a percorrer o caminho e a prepararmos o nascimento do Deus Menino, ao longo dos 4 domingos;





- os enfeites para a árvore de Natal – apesar da menina da mamã ainda não andar nesta altura, nada como começar a substituir a decoração da árvore para algo macio e sem possibilidades de se partir;




E isto é só o princípio... Vamos continuar a nossa viagem por esta atmosfera maravilhosa em próximos posts...

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O Feitiço do Tempo



Ao contrário do que acontece com a personagem de Bill Murray, no filme "O Feitiço do Tempo", que fica presa "karmicamente" no mesmo dia, vivendo-o em repetição, o nosso feitiço parece ter acelerado os ponteiros do relógio...

Sabemos que o tempo passa, quando a menina da mamã cresceu tanto que já veste várias peças para um ano;

Sabemos que o tempo passa, quando as papas passam a ter glúten e as sopas passam a ter carne;

Sabemos que o tempo passa quando o lanche passa a ser iogurte;

Sabemos que o tempo passa, quando a bebé agarra em tudo o que vê e alcança, manuseando já com alguma destreza;

Sabemos que o tempo passa, quando o estar sentada a mexer nos brinquedos é a posição favorita versus estar deitada;

Sabemos que o tempo passa, quando a mamã está quase a ficar um ano mais velha;

Sabemos que o tempo passa, porque os nossos dias são cheios de risos e boa disposição, mesmo quando nem tudo corre da melhor forma!



sábado, 19 de outubro de 2013

As Florestas de Sophia




"Há muitos anos, há dezenas e centenas de anos, havia um certo lugar na Dinamarca, no extremo Norte do país, perto do mar, uma grande floresta de pinheiros, tílias, abetos e carvalhos. Nessa floresta morava com a sua família um Cavaleiro. (...)".
Esta 5. Feira, quando regressavamos a casa, depois da consulta da menina da mamã, passamos pela casa dos avós, reparamos que já estavam a começar a montar iluminações de Natal... O Natal! É uma época mágica que me transporta até à infância e a histórias com cheiro a Outono e Inverno.
Adoro ler e essa paixão despertou cedo, logo com a escola. Tinha 9 anos, quando li pela primeira vez um texto retirado do livro "O Cavaleiro da Dinamarca", da Sophia de Mello Breyner Andresen... Achei maravilhoso e quis lê-lo do princípio ao fim... Até hoje, permanece uma das minhas obras favoritas, tal como a sua autora. A sua escrita é tão especial e envolvente, permitindo-nos ver, sentir, cheirar cada árvore, flor ou fruto, não esquecendo as restantes personagens. Isso torna-se tão claro nos bailes das flores de "O Rapaz de Bronze"  ou na quinta de "A Floresta".
Um livro que vou oferecer à bebé é "A Minha Primeira Sophia", da autoria de Fernando Pinto de Amaral e ilustrado pela talentosa Fernanda Fragateiro... Espero que esta mesma paixão também desperte nela!
Como o Natal está quase à porta, não resisto a mergulhar de novo num dos meus livros mais queridos...
"E ao lado da casa, o grande abeto escuro, a maior árvore da floresta, estava coberta de luzes. Porque os anjos do Natal a tinham enfeitado com dezenas de pequeninas estrelas para guiar o Cavaleiro. Esta história, levada de boca em boca, correu os países do Norte. E é por isso que na Noite de Natal se iluminam os pinheiros."




quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Acreditar em princesas



O dia em que a menina da mamã completou 6 meses não foi fácil para mim.
Iniciamos, hoje, uma nova rotina, uma rotina feita do amor e cuidado das vovós e dos vovôs, enquanto o papá e a mamã trabalham.
Queria ter desfrutado da minha bebé que enche os nossos dias de felicidade, ao som das suas gargalhadas e dos seus triunfos ao conseguir sentar-se... Mas o stress não deixou...
Tudo começou por ter saído mais tarde do trabalho e ter de "voar" para chegar à minha pequenina, mais depressa e eliminar o atraso.
Depois, a experiência do primeiro iogurte que não encheu as medidas à pequena aniversariante com meio ano.
A seguir o trânsito... Quem me conhece sabe que não gosto nada de conduzir, mas o facto de ter de fazer cerca de 40 km entre idas e vindas, em base diária, não me deixou alternativa.
Finalmente, o regresso às horas de ponta, no coração de Lisboa, deixou-me com os nervos em franja, por ver tanto tempo desperdiçado... Tempo que eu queria viver com calma com a menina da mamã.
Quando o sono a envolveu  no seu manto de sonhos, arranjei um bocadinho para agarrar num livro que estou a ler... Dias de uma Princesa, da Catarina Beato.
Eu já conhecia o blog e estava com imensa vontade de conhecer o livro. Tenho lido aos bocadinhos muito pequeninos e cheguei ao texto "eu não quero trabalhar das 9h às 18h" ... Senti que tinha sido escrito a pensar neste meu dia de pressas... Revi-me no desejo de encontrar alternativas aos horários rígidos, porque o importante é estarmos e vivermos aqueles que amamos e fazê-los felizes, colocando mais doçura, paciência e disponibilidade no nosso quotidiano.
Ao percorrer as páginas, parece que conheço a Catarina, e agradeço-lhe por me ensinar a acreditar em princesas de carne e osso e a aprender passinho a passinho a não me deixar frustrar pelas pequenas dificuldades do dia a dia. Um dia, espero também transmitir estes ensinamentos à menina da mamã.










segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Altos e Baixos



Quando despertador tocou, pensei "Enganei-me nas horas". A minha mão ia direita ao botão do snooze, quando caí em mim... Era 2. Feira!
Lá me levantei, completamente ensonada, a pedir por favor ao meu cérebro para acordar. O papá e a menina da mamã ainda dormiam tranquilos. Sorri, já sentia o coração bem mais animado.
Pequeno almoço rápido, higiene, vestir... Entretanto, ainda tive tempo para uns abracinhos da bebé, já desperta. A seguir, saí, peguei no carro para percorrer os quilómetros até ao trabalho. 
Aí, esperavam-me algumas coisas acumuladas da semana de férias para resolver. Foi difícil concentrar-me pois estava preocupada com a consulta da pequenina. A manhã chegou ao fim e depois do almoço, o inesperado aconteceu com um toque do telemóvel: devido a um imprevisto, a nossa pediatra viu-se obrigada a adiar a desejada consulta por mais uns dias... Caiu-me tudo, porque a recuperação não está a acontecer da forma esperada... Para além disso, a ida para as vovós está iminente, o que implica saídas diárias com grandes variações de temperatura. A minha pulsação de mamã acelerou. Só conseguia pensar na consulta e na bebé, que eu tanto quero ver completamente bem outra vez...
O regresso a casa fez-se em piloto automático. Bem, o que aconteceu, aconteceu e não há muito a fazer... Vamos manter os aerossóis só com soro e a aspiração nasal, até novas directrizes...
Chegado o fim do dia, senti-me cansada e com a menina da mamã a dormir no meu colo, sentei-me a ver televisão, com um balde de pipocas. 
O dia a dia tem altos e baixos, mas são as pessoas que amamos e os prazeres simples (vide pipocas) que nos ajudam a olhar para o lado mais positivo.






domingo, 13 de outubro de 2013

Férias atribuladas



Se há coisa que as mamãs aprendem rapidamente, é a não fazer grandes planos, pois imprevistos acontecem... Ainda com mais frequência com bebés.
A semana que passou foi de férias para mim e a última de licença para o papá. Findos todos os períodos de licença, havia questões logísticas a tratar para os próximos tempos, que passarão a ser acompanhados pelas vovós queridas!
Para os que nos seguem pela página do facebook A Menina da Mamã, as férias foram tudo menos aquilo para o que tinham sido destinadas: a menina da mamã ficou doente com direito à ida às urgências e posterior consulta com a pediatra, seguindo-se todos os tratamentos prescritos... Mas não só: o papá e a mamã também ficaram doentes!!
Os dias foram maioritariamente passados em casa, com saídas pontuais apenas para ir à farmácia ou ao supermercado.
Felizmente, o susto inicial já passou e a pequenina está bem melhor!
Quando comecei também a melhorar, já no fim da semana, ainda consegui tratar da maior parte das coisas em falta.
Chegado o fim de semana, e com a bebé ainda confinada a casa (continua com uma tosse malvada que teima em não passar - vamos ver qual o diagnóstico a ser revisto no início da próxima semana), a mamã e o papá conseguiram dar um pulinho ao The Brand's Market, com o apoio de uma das vovós.
Soube muito bem apanhar um pouco de ar e chegar a um hotel cheio de charme, no coração de um dos bairros emblemáticos de Lisboa - Campo de Ourique, o Hotel da Estrela.
De entre as várias marcas deliciosas presentes, destacamos duas: a Piupiuchick e a Ma Petite Princesse.
Não resisti a trazer umas jardineiras lindas, super femininas e com um padrão invulgar e único em peças para crianças, o pied de poule num tom aqua.
A menina da mamã vai ficar tão fofa!








terça-feira, 8 de outubro de 2013

Fazer a diferença



Para tod@s @s que nos têm seguido através da página do facebook, os últimos dias têm sido de preocupação, pois a menina da mamã ficou doente pela primeira vez, com uma bronquiolite.
Tudo começou com uma tosse muito ligeira, tendo-se agravado progressivamente, dando lugar a uma visita às urgências e outra à nossa pediatra.
Eu, provavelmente como tantas mamãs, tinha aquele pensamento tão iludido que a bebé seria daquelas crianças tão, tão resistentes que nunca ficaria doente... Pois é, de facto e até ao final da semana passada, estes já quase seis meses de vida foram repletos de saúde, nem mesmo com as vacinas (e já foram bastantes), houve qualquer reacção. Mas os "bicharocos" chegaram e atacaram primeiro a menina, e de seguida a mamã e o papá... Vive-se um ambiente viral, nesta casa.
E se a mais pequenina tem sido uma heroína perante toda a terapêutica, a mamã sofre ao vê-la assim.
Sempre fui uma "má doente" lendária, muito sofrida e impaciente, exagerada e com veia dramática, achando que nunca mais vou ficar bem. Ninguém gosta de estar doente, mas muitas pessoas encaram de forma positiva e tranquila o caminho da recuperação... Não é o meu caso e quando a recuperação em causa é a da bebé, fico ainda mais ansiosa. O meu coração fica tão  apertado de cada vez que ela acorda com dificuldade em respirar, tão aflita.
Faz tudo parte da experiência de ser mamã e do crescimento da sua menina. E é, nestas alturas, em que por muito impotentes que nos sintamos, o simples gesto de segurar a mão faz toda a diferença!