domingo, 3 de novembro de 2013

Olhares Maternos sobre o Natal - Sara Rodi



Sara Rodi


A paixão pela escrita foi precoce, traduzindo um sonho em palavras, logo aos 6 anos... A inspiração não parou de crescer e deu origem a romances como A Sombra dos Anjos e Frio. Seguiu-se o guionismo , com participação activa no processo de escrita de várias novelas, como Mundo Meu ou Vingança e séries televisivas como Uma Aventura ou Maternidade. Criou o projecto O Livro da Minha Vida (https://www.facebook.com/pages/O-LIVRO-DA-MINHA-VIDA/315715990619) em conjunto com Ana Correia Tavares, dando voz a histórias pessoais, vividas ou imaginadas. 
Os livros infantis marcam também o seu percurso, como os títulos da colecção Clássicos a Brincar.  
Nesta viagem pelo seu universo criativo, não podemos  esquecer os romances históricos como D. Estefânia - Um Trágico Amor e D. Teresa de Távora - A Amante do Rei.
A esfera blogger também não lhe é estranha e poderão acompanhá-la através dos seus blog's: http://sararodi.blogspot.pt/ e  http://coisasdepais.blogspot.com.
Venham conhecer a autora e mamã Sara Rodi e o seu olhar sobre o Natal!

- Qual o significado do Natal para ti?
É sobretudo uma festa que apela aos nossos bons sentimentos. Celebra-se o nascimento de Jesus, uma criança que mudou o mundo. Fala-se no Pai Natal, um velhinho que leva sorrisos às crianças. E por todo o lado há uma certa magia no ar. Fazemos por nos lembrar de quem gostamos, ajudamos quem precisa, sorrimos na rua… O Natal devia ser todos os dias mas, não sendo, já é positivo haver uma época do ano em que tentamos ser melhores e fazer a diferença na vida dos outros.  

- Quais as vossas tradições familiares desta época?
Em Novembro montamos a árvore e escrevemos a carta ao Pai Natal, num dos fins-de-semana mais maravilhosamente caóticos do ano. Com jeitinho, a árvore resiste até Janeiro. Com sorte, os desejos expressos nas cartas chegam aos ouvidos da família, sempre disposta a dar uma ajudinha ao Pai Natal.
Em meados de Dezembro começam as férias, que é sempre uma altura recheada de bons programas e, se não chover, também propícia a bons passeios. No meio da confusão, preparo as roupinhas de Natal - esta é uma das poucas alturas do ano em que os meus filhos mais velhos ainda me deixam vesti-los a condizer com os irmãos mais novos. Vamos ver o que acontece este ano…
Na véspera e dia de Natal, dividimo-nos entre a casa da avó materna e a dos avós paternos. Como há vários primos num lado e no outro, a algazarra é garantida, sobretudo na altura de abrir os presentes. Felizmente já não se oferecem tantos, tende-se para uma saudável contenção, o que tem reduzido o excesso de confusão e nos tem dado mais tempo para conviver.

- O Natal e as crianças: como mãe de quatro filhos, como é que eles vivem esta quadra?
Por eles, era sempre Natal. Gostam dos preparativos, das ruas decoradas, das festas de Natal, dos doces, dos presentes, das brincadeiras, dos passeios… E claro que o entusiasmo deles contagia. É um período cansativo, mas ver a alegria deles é tudo!

- No âmbito do projecto O Livro da Minha Vida, que história de Natal incluirias no teu?
Talvez as vezes em que, à falta de lareira, fui espreitar o exaustor do fogão, com esperança de ver o Pai Natal. Um dia trouxe-me do reino dos brinquedos uma linda guitarra de brincar.
Na adolescência, recebi num Natal uma guitarra a sério, já não do Pai Natal, mas dos meus pais que, coitados, nunca mais tiveram sossego…
Depois de ser mãe, todos os Natais voltaram a ser especiais. No Livro da Minha Vida teria de deixar registados os teatrinhos em casa dos avós; as chuchas deixadas ao Pai Natal, na lareira; as brincadeiras entre os primos; a alegria na hora de receber os presentes… O Natal, por si só, daria um lindo capítulo no meu livro.  

- Presentes: quais as tuas sugestões?
Eu tenho a alcunha de “tia dos livros”... Gosto muito de pensar no livro certo para cada criança e até para cada adulto (e, pelo meio, lá ofereço alguns dos meus…). Acredito que há sempre o livro certo para cada pessoa.
Também gosto de jogos didáticos, como os kits da Science4You ou os jogos de tabuleiro da MESAboardgames. São ambas empresas portuguesas a fazer um trabalho muito interessante, nesta área.   

- Uma receita natalícia (um sabor que não possa faltar na ceia)
Nunca pode faltar o bolo rei da Garrett e o perú recheado, no Natal de Cascais, nem as filhós da D. Conceição e o cabrito assado no forno, no Natal de Évora. 


Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários estão sujeitos a moderação, pelo que após a mesma, serão publicados