segunda-feira, 1 de junho de 2015

7 Dicas para uma Educação Tranquila






Quando a palavra de ordem nesta fase é descansar, dou por mim a ter tempo para ler e aprender. Sou um bocado acelerada por natureza e tento planear as coisas antecipadamente, esquecendo-me com frequência de viver o aqui e agora: nas rotinas do trabalho, nos movimentos pendulares dos trajectos urbanos, nos banhos, nas refeições, no preparar as coisas para o dia seguinte, acabo por me perder a pensar na tarefa seguinte. E quando temos filhos, esta pressa constante não é nada boa. Por isso, decidi investigar mais sobre o movimento “Slow Parenting” que se traduz numa aproximação mais serena e relaxada (mas não preguiçosa ou desleixada) na forma de educarmos as nossas crianças.
Assim e sem esperarmos que as mudanças de atitude possam ser feitas do dia para a noite, mas com equilíbrio e no ritmo certo, reunimos 7 dicas que queremos colocar em prática para vivermos melhor esta aventura de sermos pais:




1 - Parar, ver e ouvir

Proporcionar tempos de pausa entre actividades, permite uma melhor assimilação de conteúdos e espaço para praticar novas capacidades recém adquiridas. A nossa tendência para sobrecarregar horários deverá ser moderada;

2 - Dar espaço e prestar atenção

Com toda a importância que a partilha de impressões depois das aulas ou actividades extra curriculares tem, não devemos forçar um “relatório” completo, mas antes começar por dar espaço para que os nossos filhos falem espontaneamente de algo que gostaram ou não, no decorrer do seu dia. Devemos estar atentos ao seu tom de voz ou eventuais reacções negativas que manifestem e que requeiram a nossa intervenção;

3 - Estar presente

Em vez de planearmos, de forma rígida, as actividades em família, devemos deixar alguns momentos livres ao fim do dia, ou pelo menos, ao fim de semana para simplesmente estarmos todos juntos, sem computadores ou outros suportes tecnológicos;



4 - Estimular a criatividade

A criatividade desperta mais em brincadeiras sem objectivos demasiado definidos, como as construções ou contar histórias em conjunto, em que cada um vai dando o seu contributo e um novo rumo à narrativa, não existindo exactamente um certo e um errado;


5 - Deixar o acaso entrar

Espalharmos objectos interessantes como livros, puzzles ou jogos, ao alcance dos nossos filhos e deixá-los escolher por eles, sem terem a obrigação de treinar letras, palavras ou raciocínios, simplesmente deixando que a imaginação vá fluindo;



6 -  Definir um ritmo

Retirar a pressão e o stress da educação, não significa que não haja regras ou disciplina. É preciso conhecermos a melhor abordagem e ritmo para que os nossos filhos aprendam e completem as suas tarefas, nomeadamente os trabalhos de casa, sem lhes criar aversão, mas também sem se distraírem indefinidamente pelo caminho;




7 - Relaxar

Quando os pais descontraem, as crianças também o sentem e fazem o mesmo. As nossas atitudes e comportamentos são o principal exemplo para os nossos filhos.


Esperemos que achem estas ideias úteis ;)


Até já!





Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários estão sujeitos a moderação, pelo que após a mesma, serão publicados