sexta-feira, 8 de maio de 2015

Onde vamos parar???






Num momento em que tudo se conta e tudo se mostra nas “redes sociais” e na blogosfera, não conseguimos deixar de pensar e perguntar: Onde vamos parar?

Ao tomarmos a decisão de começar a escrever um blog público (há sempre a opção nesta plataforma Blogger de mantê-los privados), aceitámos tacitamente a exposição das nossas experiências ao mundo dos que nos acompanham. A ideia surgiu da vontade de manter vivas as memórias da nossa família em crescimento e ao mesmo tempo poder partilhar publicamente vivências úteis e coisas que vamos descobrindo e gostando. Tem sido, até agora, um projecto muito positivo, com o qual vamos enriquecendo o nosso dia-a-dia, através das vossas opiniões e sugestões, bem como de tantas pessoas fantásticas que temos vindo a conhecer.

Nesta partilha, temos consciência de que estamos a expor a nossa vida e os nossos filhos… Esta questão não é pacífica, pois há sempre aspectos menos bons que têm de ser equacionados, nomeadamente os riscos a que a exposição nos pode sujeitar. É aqui que, para nós, tem de entrar a sensibilidade e o bom sendo (parafraseando Jane Austen).
Há o risco de alguém utilizar, inapropriadamente e sem pedir autorização, imagens nossas? Claro que sim. Há forma de o evitar? Só não fazendo qualquer publicação, pois há sempre quem consiga contornar regras de privacidade electrónica (e isto aplica-se aos blogs e aos perfis criados em qualquer rede). Esta é uma das primeiras coisas inevitáveis, mas com a rastreabilidade dos sistemas actuais (entidades públicas, contas bancárias, comunicações, etc.), eu diria que nem que ficássemos fechados em casa, conseguiríamos a segurança total. 
A partir deste ponto, temos de definir os limites que não vamos ultrapassar: há momentos absolutamente privados que, por muita “graça” que possam ter no momento, não devem ser tornados públicos seja porque motivo for. Mais ainda se envolverem os nossos filhos, que, em muitos casos, ainda não têm voz activa para dizer “Eu não quero que publiques essa imagem”. Há acções de sensibilização para uma utilização segura (na medida do possível) da internet que nos dão linhas de orientação para a definição destes limites, nomeadamente para as crianças, tais como: não publicar fotos das crianças despidas (banho, etc. – aqui não se trata de uma questão de puritanismo, mas tão somente de preservar a intimidade dos nossos filhos em face de um possível uso malicioso das fotos), não anunciar previamente a hora e o local onde vamos estar, não publicar fotos onde se consiga identificar facilmente a nossa morada ou a escola dos nossos filhos… 
Cada um tem a sua própria maneira de ver e lidar com as coisas que vão surgindo, não nos cabendo emitir quaisquer juízos de valor… Mas vale a pena reflectir sobre a nossa própria maneira de estar no mundo virtual…

Dêem-nos a vossa opinião!!!!


Imagem retirada de Someecards

Até já!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários estão sujeitos a moderação, pelo que após a mesma, serão publicados