domingo, 2 de outubro de 2016

Quando só me apetece fugir...





O tom dos posts por aqui é normalmente solar, bem disposto e positivo. Isto é uma escolha, uma opção pelo Bright Side of Life (já estou a ouvir os Monty Python na minha cabeça) pois para ler/ver desgraças basta ligar aos noticiários (uns mais entusiastas do que outros nos detalhes por vezes grotescos) e ninguém precisa dessa negatividade adicional nas respectivas vidas.
Na realidade, há muitos dias nos quais tudo corre ao contrário: são dias em que conto chegar a tempo para ir buscar as crianças, tratar do banho, preparar o jantar e de repente dou por mim a perder duas horas no trânsito do final de tarde, a arrancar muito devagarinho e ficar parada muito mais tempo do que o desejável, logo a seguir... Penso "um dia, não são dias, amanhã vai correr melhor"... Mas com as "queridas" obras em que Lisboa se encontra mergulhada, esses dias de filas intermináveis, de desvios que nos obrigam a perder quase meia hora para tentarmos chegar ao ponto onde teríamos estado em 5 minutos, em condições normais, tornaram-se num desgaste constante, pela manhã e ao final do dia. 
É claro que a isto, posso somar as noites mal dormidas, a necessidade de acordar mais cedo por causa da escola que vai tornando a minha paciência materna numa espécie de camada cada mais vez fina de manteiga demasiado esticada para todos os lados, numa fatia de pão...

Olhando assim, ninguém diz o que são capazes de fazer/ Looking at these faces no one tells what they are up to
E como corolário, chegam aqueles momentos em que só apetece dizer: "Vou só ali fugir um bocadinho e já venho..."
Momentos como aquele em que a Alice acorda pouco antes do despertador, sem chucha (que usa apenas para dormir) e quer a de cor amarela... Meio estremunhados, encontramos uma de cor verde e Meus Deus, o que fomos fazer... Desata num pranto porque não é aquela, acorda o Afonso e o dia começa logo cheio de boa disposição (Nãoooooooo!!!!!), naturalmente. Depois ao final do dia, é preciso tirar a roupa para banhos, pijamas, etc. e vem mais um intenso drama porque não quer tirar as meias. O Afonso por vezes chora por simpatia com a irmã, outras porque já está cansado, mas principalmente porque quer atenção, toda a atenção e mais alguma... E apesar da presença apaziguadora e do apoio do papá neste caos, o stress está a apoderar-se cada vez mais das minhas reacções. O corpo já começou a dar sinal, com o coração demasiado acelerado e assustar-me de vez em quando. Querem saber a verdade? Preciso de uma Mary Poppins que estale os dedos e resolva todas as birras e desarrumações... Enquanto isso, vou só ali fugir um bocadinho e já venho (mas não contem a ninguém).


(Scroll down for english)

Image by Sketch Dailies

Our posts are normally written in a bright, sunny and positive mood. This is a choice, here we only look on the bright side of life (suddenly Monty Python starts playing in the back of my mind). We don't need extra negativity in our lives (for that, we just turn on the news).
But the truth is that most of the days seem to be turned upside down: instead of picking up the children, preparing their baths and meals on time, I get stuck in traffic for hours, subject to the never ending chaos that the city works are creating everyday.
Adding up to this, I can sum the sleepless nights, waking up earlier to get everything going on time for school... all of this is depleting my maternal patience "like butter scraped over too much bread"*.
It's what I call my "let me run away just a little and I'll be right back" moments... Such as when Alice wakes up a few minutes just before the alarm clock and asks for the yellow pacifier (she only wants it to sleep)... Half a sleep, we can only find a green one... And OH MY GOD,What have we done????  Drama!!!! She just bursts in to tears, waking her baby brother up with such a fuss. Or when she must take her socks of, in order to bath and get her pijama on, and she simply doesn't want to. Afonso sometimes cries simultaneously for sympathy, or because he is tired or simply because he's craving attention... All the attention possible.
Although daddy calms things down and gives a good hand at all the chores, stress is sinking in and my body is already alerting me... my heart is always racing too fast and scaring me at times.
Do you know what I need? I need a Mary Poppins to snap her fingers and sort out every tantrum or messy room. Meanwhile, I'm just running away for a little while and I'll be right back (but don't tell anyone ;) 

*Tolkien quote

Até já! See you soon!

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá Mafalda,
      Não sei muito bem para onde vou, mas todas as mamãs são bem vindas numa pequena fuga :)

      Eliminar
  2. Querida Catarina, mãe sofre! Essa fase é um encanto mas ainda bem que eles crescem porque é uma fase absolutamente extenuante. Eu bem me lembro quando a Rafaela tinha essa idade! São tempos que não me deixam grande saudade porque eu andava mais morta que viva. Teve uma altura em que acordava TODOS os dias às 6 da manhã para ver o DVD do Noddy.... eu entrava no trabalho às 9h30 e havia dias em que só me apetecia fugir porque a essa hora já me sentia completamente de rastos. Felizmente agora está uma crescida e é o oposto, agora é preciso um guindaste para a arrancar da cama :D

    Relativamente ao trânsito é uma tristeza. Lisboa virou um autentico inferno. Cada vez se tem menos qualidade de vida nesta cidade caótica. O tempo que se perde a chegar a qualquer lado é de bradar aos céus :(

    Beijinho grande para todos :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Paula,
      Não tem sido fácil conciliar tudo e o cansaço é imenso. Sinto-me sempre em luta contra o tempo... Nem aproveito bem estes momentos que passam demasiado depressa 😔 E o trânsito é o meu desgaste duas vezes por dia.
      😘😘😘😘 beijinhos enormes nossos

      Eliminar

Todos os comentários estão sujeitos a moderação, pelo que após a mesma, serão publicados