quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Dias de uma mãe que não é perfeita




Tempus fugit, é a expressão adequada aos dias desta mamã que não é perfeita. A licença do papá terminou e num momento de sestas duplas, aproveito uma pausa para escrever este post. Os dias voaram e o menino da mamã vai completar um mês de vida. Com as cólicas a fazerem-nos companhia, as noites (principalmente) não têm sido fáceis e a privação do sono instalou-se com todos os seus efeitos menos simpáticos: muito cansaço, menos paciência, desorganização!!!!
Sinto-me frequentemente dividida entre tentar gerir as tarefas todas e aproveitar a ajuda das avós para fazer eu própria uma sesta reparadora... Até agora têm ganho as tarefas caseiras. 
É aqui que sinto verdadeiramente que não sou perfeita... Muito longe disso.
Gostava de conseguir ter sempre a minha casa imaculadamente (ou quase) limpa e arrumada, mas com a menina da mamã a passar como um pequeno tufão e a espalhar brinquedos e migalhas por todo o lado, a tempo inteiro, torna-se realmente uma missão impossível (mal termino, e às vezes nem isso, de arrumar, já há mais coisas por todo o lado).



Gostava de ter tempo para fazer bolos, bolinhos e bolachinhas, com um verniz impecável nas unhas, eyeliner e baton qual "dona de casa" dos anos 50. 
Ser mãe a tempo inteiro (é claro que somos todas 24/7, mesmo quando estamos a trabalhar) durante o período de licença não é tarefa fácil... Há quem já me tenha dito na brincadeira que estou de férias prolongadas (humm, será que posso dormir até tarde e passar o dia de papo para o ar? Não me parece...) Às vezes, temos de necessidade de parar o caos ao nosso redor e simplesmente respirar... O problema é o sentimento de culpa que aparece latente. Citando a Isabel Stilwell na sua agenda "Os dias de uma mãe que não é perfeita", "somos nós que nos condenamos a supermulheres, superamantes, supermães, superprofissionais e super o que mais houver."




Assim sendo, há que estabelecer prioridades e a minha prioridade recai sempre sobre as crianças: refeições prontas, banhos, tempo para brincar e miminhos. Tudo o resto, vai-se fazendo e entrando nos novos eixos aos poucos.

Não sou, de facto, perfeita, nem nada que se pareça, mas adoro a minha família e vê-los felizes e com saúde, é o que realmente importa :)

Como foi a vossa experiência nos primeiros tempos de família aumentada?

Nota: imagens encontradas em envisioningtheamericandream.com; cucumberstyle.com e blog thespiritualcatalyst.com, respectivamente

Até já!

2 comentários:

  1. No meu caso, sendo a primeira vez, tudo era novo... O primeiro mês foi a habituação e, confesso, foi complicado! Estive praticamente sozinha a cuida da minha filha, mas todo os dias os meus pais iam visitar-nos e nessas visitas eu aproveitava para tomar banho, entregar a roupa suja e arrumar a roupinha lavadinha, passada e cheirosa pela minha santa mãe... mas o que me custou mais eram as mamadas de 3 em 3h... O início da mamada era terrível! Doía muito... mas lá a coisa foi ao sítio...
    Dos 5 meses de licença, o primeiro passei-o em casa, sem poder sair, porque além de ter sido um mês frio, a minha pequenota foi prematura... Cuidados redobrados!... Depois, por ela ser tão fofinha, quietinha, saudável, sossegadita, nem teve tantas cólicas assim (também evitava comer tudo o que provocasse cólicas), consegui deixar tudo mais ou menos organizado!
    No entanto, desde que nasceu, a minha prioridade também é ela e somente ela! O resto faço depois, se der... Não importa se a casa está desarrumada... Tento é fazer uma aspiração obrigatória 2x por semana pelo menos e wc também sempre asseadinha... limpezas normais, apenas ao fim-de-semana (se realmente se justificar!)... bolinhos, quando há tempo e disposição para tal...
    Não deixo de ficar com a minha filha para fazer nada! Cresci com a minha mãe sempre preocupada com limpezas e mal tinha tempo de estar connosco, que não quero fazer o mesmo com a minha fofinha! :)
    Beijinhos! Adorei o blog! :)

    ResponderEliminar
  2. Não é fácil sermos mamãs, mas há uma certeza: fazemos tudo pelos nossos filhotes e eles são a nossa prioridade n. 1
    Vamos aprendendo a racionalizar o tempo e as restantes actividades :) Vão surgir dias difíceis e que nos deixam de rastos (física e psicologicamente), mas acabamos por encontrar força e continuar. Um beijinho nosso e obrigada pelo carinho!

    ResponderEliminar

Todos os comentários estão sujeitos a moderação, pelo que após a mesma, serão publicados